Sem data para abertura, escolas de Feira de Santana desenvolvem protocolo para retomada das atividades

-
Foto: Reprodução/TV Bahia

A Secretaria Municipal de Educação de Feira de Santana, junto com a Associação de Escolas Particulares do município já estão elaborando um protocolo de segurança para a volta às aulas, por casa da pandemia do novo coronavírus.

Há mais de 4 meses, desde quando foi necessário o isolamento social por causa da Covid-19, as salas de aula estão vazias.

Mesmo sem dia certo para ver as cadeiras ocupadas novamente, os representantes das escolas municipais e particulares do município que fica a cerca de 100 km de Salvador, já estão se preparando. Tapetes sanitizantes, cadeiras afastadas e regras para hora do recreio fazem parte do protocolo.

“Dentro da sala de aula haverá distanciamento entre as carteiras. As turmas deverão, inicialmente, ser reduzidas pela metade e terão aulas em dias alternados. A ideia é que no momento em que essas aulas presenciais sejam retomadas, a gente possa começar com os alunos mais velhos. Como por exemplo os alunos do fundamental II, para só então, mais adiante, com toda segurança a gente chegar aos alunos de faixa etária menor, até mesmo os alunos das creches. Nós queremos divulgar esse protocolo e começar já a pensar em um momento de retorno para os alunos”, explica Marcelo Neves, secretário de educação de Feira de Santana.

Já as escolas particulares se anteciparam com a implantação de novas medidas de segurança para funcionamento e evitar a disseminação da Covid-19, conforme conta a presidente da Associação Intermunicipal das Escolas Empreendedoras, Angeleide Franco.

“Estamos tendo encontros semanais para orientar as escolas a garantir a organização do seu protocolo. Vai vir o protocolo, que nós vamos seguir, mas nós queremos ir além, o cuidado com a família e com cada criança”, diz.

Angeleide tem uma escola que atende a cerca de cem alunos, com idade entre um e dez anos e por lá, já tem ensaio do novo normal. Os cuidados começam na porta com um aviso da necessidade do uso de máscara para entrar na escola. Não será permitido entrar sem máscara, professores e alunos terão a temperatura medida e precisarão desinfetar a parte de baixo dos sapatos no tapete sanitizante.

As salas já estão prontas. As cadeiras foram arrumadas distantes umas das outras e todo material de uso coletivo foi retirado

Outro ponto importante discutido pelas escolas é o uso de áreas de convivência. Em uma das unidades de ensino de Feira de Santana, o laboratório de robótica e a biblioteca, que antes reuniam vários alunos, devem permanecer vazios e interditados, mesmo depois do retorno às aulas.

No intervalo da aula, o tradicional e querido recreio, também vai ser diferente. Nada de aglomerações, abraços e compartilhamentos. Os alunos serão divididos e as turmas não terão os mesmos horários de intervalos, como foram de evitar aglomerações.

Apesar do protocolo das escolas municipais e particulares, vale destacar que não há previsão para retorno das aulas. Na rede estadual também não tem previsão de quando as aulas vão voltar.

Feira de Santana já registrou 7.531 casos de pessoas com coronavírus, 5.553 recuperados e 151 mortes, conforme aponta a prefeitura. (G1)