Sobre nomear opositores, prefeito aponta: “precisávamos fazer a Câmara de SAJ e essas pessoas vieram junto com os novos vereadores em nosso grupo”

-
Foto: Voz da Bahia

Algumas pessoas ligadas ao grupo do ex-prefeito Rogério Andrade (PSD) e ao ex-prefeito Euvaldo Rosa (PSD), foram nomeadas para o governo municipal sob a gestão do prefeito que assumiu ao cargo, Genival Deolino (PSDB). Por isto, houve conversas entre seus aliados cobrando um posicionamento devido a esta situação.

REPERCUSSÃO:

Sobre o assunto, Genival falou em entrevista a Andaiá FM, que algumas pessoas nomeadas em sua gestão vieram junto aos vereadores que apoiou seu grupo durante a eleição da presidência da Câmara de Vereadores, “não imaginei que seria essa repercussão toda. Tínhamos apenas quatro vereadores, precisávamos fazer a Câmara e muito dessas pessoas vieram junto com esses novos vereadores que estão em nosso grupo. Nos precisamos rever nossos casos para que possamos não deixar nosso grupo tão insatisfeito”, esclareceu.

EMPREGOS NA PREFEITURA:

Segundo o prefeito, é uma situação complicada conseguir empregos, “é difícil porque não temos emprego para todos, seria ótimo para todos se conseguíssemos empregar todos, mas é impossível. Temos que trabalhar para a comunidade e o dinheiro do povo é que paga aqueles salários e eles tem que ter esse retorno. Estamos avaliando esses casos, vamos ajustar dentro da possibilidade”, explicou.

APOIADORES:

Genival finalizou afirmando que a parte mais difícil da sua gestão é gerenciar seus apoiadores agora que se tornou prefeito de Santo Antônio de Jesus, “digo a aqueles que marcharam com a gente, pode acreditar que faremos um governo diferenciado, procurar gerar o máximo de emprego para as pessoas que precisam realmente do emprego tenham a oportunidade de conseguir na iniciativa privada. Um caso ou outro, vamos revisar se surgir vagas que marcharam com a gente. O que está sendo mais difícil no inicio de nossa administração é gerenciar essa situação. Essas pessoas precisam entender que a cidade vai mudar, pois tiraram um gestor que a maioria não aprovaram. Podem ter certeza de que vão aprovar nossa gestão e que o trabalho de quem esteve do nosso lado não foi em vão”, concluiu.

Redação: Voz da Bahia