Sobrou comida da ceia? Como reaproveitar os alimentos de maneira saudável

Foto: Divulgação/Divulgação
Foto: Divulgação/Divulgação

As festas de fim de ano geralmente são combinadas com ceias que mais parecem um banquete. É natural, então, que geralmente sobre muita comida no dia seguinte. O problema é que, às vezes, ficar repetindo os mesmos pratos durante três, quatro ou até cinco refeições enjoa – e pode não ser muito saudável. Mas então como reaproveitar toda a comilança de um jeito mais saboroso e seguro? Fomos perguntar para a nutricionista Gabriela Cilla, da Clínica NutriCilla. 

Até quanto tempo a gente pode consumir os alimentos das ceias? 

De acordo com Gabriela, o ideal é prestar atenção no tipo de prato preparado. Aqueles que contém molho não devem passar dos 3 dias na geladeira. “Eles provavelmente ficaram expostos na virada da noite para o dia à temperatura ambiente. Isso é muito tempo, e pode causar a contaminação do alimento”, diz. 

Mesmo se a refeição não contiver molho, vale a pena prestar atenção. Se seu aspecto ou cor sofrer alguma alteração, nem pense em colocar na boca. “Carnes, saladas e preparações como o arroz podem ser servidos nesse tempo limite”, explica. 

Como guardar esses alimentos? 

Os recipientes de vidro são os melhores, principalmente se eles tiverem tampas, forem bem fechados e não permitirem o contato com outros alimentos. Caso o pote não tenha tampa, a melhor saída é cobrir tudo com aquele plástico filme. Papel alumínio pode ser usado sobre pratos e travessas. 

Vale congelar para consumir depois? 

Sim, desde que você não tenha “requentado” o alimento nenhuma vez. Portanto, se for congelar, já sabe: direto da mesa para o congelador. 

Como deixar as sobras mais saudáveis?

Gabriela explica que o segredo é prestar atenção na quantidade. Ou seja, se você comeu uma massa com carne bem gordurosa na ceia, vale congelar o carboidrato e repetir a proteína (em menor quantidade) com uma saladinha ou legumes assados

“Os molhos e massas podem ser trocados por requeijão light ou creme de ricota e massas integrais. Dessa forma, a preparação se torna mais saudável e com um teor calórico menor.

As sobremesas podem ser trocadas por frutas com adoçantes de base natural (como xilitol) ou mel. (Boa Forma)