SSA: Escolas particulares que reabriram sem autorização podem ter registro cassado, diz conselho

O Conselho Estadual de Educação decidiu estabelecer punições às escolas que estão funcionando de forma semipresencial, nos ensinos fundamental e médio, em Salvador. Há a possibilidade até de cassação da autorização de funcionamento dos colégios.

As punições partem da justificativa que de que as instituições que retornaram presencialmente estão descumprindo o decreto do governo da Bahia, publicado no dia 2 de maio, que autoriza atividades semipresenciais nas escolas apenas quando as regiões de saúde alcançarem, por pelo menos 5 dias consecutivos, a taxa de ocupação de UTI em patamar igual ou inferior a 75%. A autorização da prefeitura de Salvador, que passou a valer na última segunda-feira (3), prevê o retorno apenas do ensino infantil, no ensino público e particular.

O Sinpro-Ba, que representa os docentes das escolas particulares, notificou 19 colégios de ensino fundamental e médio que retornaram com atividades físicas nesta segunda-feira (3) em Salvador. Eles estiverem reunidos com o Conselho Estadual de Educação para passar a lista dos colégios que abriram sem autorização.

Confira a lista:

  • Colégio Miró
  • Escola Nova Nossa Infância
  • Maple Bear Canadian School
  • Colégio Ana Tereza
  • Gurilândia International School
  • Escola Gênesis
  • Pan American School of Bahia
  • Colégio Antônio Vieira
  • Escola Clubinho das Letras
  • Módulo Criarte
  • Escola Girassol
  • Escola Pernalonga
  • Villa Global Education
  • Escola SEB Sartre
  • Land School
  • Colégio Anglo-Brasileiro
  • Colégio Anchieta
  • Colégio São Paulo
  • Escola Arco-Íris. (Fonte: Fdr)