Últimas Notícias sobre Ansiedade

Foto: Reprodução / Superinteressante

Uma pesquisa da Universidade Harvard mostra que apenas uma noite ruim de sono é o suficiente para aumentar o nível de ansiedade em 30%.

Foto: reprodução

Não há como negar que a pílula revolucionou a saúde sexual feminina. E embora os efeitos colaterais (bons e maus) associados ao medicamento já sejam do conhecimento da ciência — risco reduzido de cancro dos ovários, melhoria da saúde da pele, maior risco de cancro da mama — ainda há poucas pesquisas sobre a relação entre a toma da pílula e a intensificação da ansiedade e sentimentos de depressão.

Cinco alimentos que podem piorar a depressão

Foto: reprodução

A alimentação tem um poder determinante no estado de espírito, sendo capaz de contribuir para uma maior sensação de felicidade, mas também para um agravamento dos sintomas de depressão e ansiedade.

Sete alimentos que podem agravar a ansiedade

© Foto: reprodução

Se você se sente ansioso com frequência, tem crises de ansiedade ou já foi diagnosticado com o transtorno de ansiedade, saiba que a sua alimentação pode estar contribuindo para a condição. Da mesma forma como alguns tipos de alimentos podem auxiliar a combater a ansiedade, outros podem piorar os sintomas.

Foto: Merlas/Thinkstock/Getty Images)

Se você é daquelas que se afunda na cadeira do escritório e se esquece do mundo, esses intervalos vão ajudá-la a renovar as energias para se concentrar ainda mais e organizar suas ideias. “Em momentos de stress, acabamos nos perdendo em nossos próprios pensamentos”, diz Yuri Busin, psicólogo e diretor do Centro de Atenção à Saúde Mental – Equilíbrio (CASME), em São Paulo.

Foto: Ilustrativa

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 9,3% dos brasileiros apresentam os sintomas da ansiedade generalizada (TAG), como coração acelerado, tremor nas mãos, pernas ou no corpo, angústia, apreensão, irritabilidade, dificuldade de concentração, perturbação do sono, rubor, suor excessivo, ganho ou perda de peso sem uma razão específica. O número é três vezes maior que a média mundial, deixando o País no topo dos casos registrados.

Foto: © DR

Segundo dados recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS), a depressão afeta 322 milhões de pessoas no mundo, número com tendência a aumentar, sendo considerada a nova ‘epidemia do século XXI’.

Coração acelerado, tremor nas mãos, pernas ou no corpo, angústia, apreensão, irritabilidade, dificuldade de concentração, perturbação do sono, rubor, suor excessivo, ganho ou perda de peso sem uma razão específica. Esses sintomas são familiares para você? Pois saiba que esses são alguns dos principais sinais de transtorno da ansiedadegeneralizada (TAG), distúrbio que vem preocupando a cardiologia, não apenas no Brasil, mas globalmente.

Close