Últimas Notícias sobre depoimento

Foto: Divulgação

O julgamento do recurso do presidente Jair Bolsonaro para depor por escrito foi suspenso no Supremo Tribunal Federal após o voto do relator, ministro Celso de Mello. A suspensão aconteceu em homenagem ao decano, que se aposenta na próxima semana e participou, nesta quinta-feira (8), de sua última sessão.O presidente da corte, ministro Luiz Fux, não confirmou quando a votação terá continuidade.

Foto: Reprodução/ Instagram

A única testemunha de defesa do empresário Iuri Sheik arrolada para a audiência de instrução, que aconteceu nesta terça-feira (29), se recusou a prestar depoimento. De acordo com a ata do procedimento, que o BNews teve acesso na íntegra, o homem entrou na sala virtual no horário convencionado, mas se retirou em seguida, alegando que precisava trabalhar.

Foto: Divulgação

Em algumas saídas do presídio para o hospital ou para audiências, o médium João de Deus, de 77 anos de idade, aparentava manchas no corpo e dificuldade para andar. Ele reclamava de dores intensas e as próprias roupas que usava, exalando um odor forte, denunciavam maus tratos. Condenado a quase 20 anos de prisão por assédio sexual contra quatro mulheres, ele estava preso desde dezembro de 2018, mas esta semana foi transferido para prisão domiciliar. Laudo médico anexado no processo de João de Deus comprovou que o médium foi vítima de agressão física, com lesão na face, localizada na pálpebra inferior direita, causada por instrumento contundente. A mesma constatação foi feita por um representante do Conselho da Comunidade de Execução Penal de Aparecida de Goiânia. Em conversa recente com este representante, João de Deus disse ter recebido ‘um soco’, mas na presença dos agentes penitenciários ele ficou receoso de ser espancado novamente e disse ter sido vítima de uma queda ao sair de sua cama. A agressão ocorreu no início do mês passado.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A Justiça Federal de Brasília marcou para quarta-feira (19), depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo relacionado à MP 471. Na ação, Lula é acusado de editar a medida para beneficiar montadoras.

Foto: Renan Olaz/Câmara Municipal do Rio

Em depoimento à Polícia Federal na terça-feira (19), o porteiro do condomínio Vivendas da Barra apresentou uma versão diferente dos dois relatos feitos anteriormente à Polícia Civil do Rio de Janeiro, nas investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Foto : Divulgação

Em novo depoimento prestado à Polícia Federal na terça (30) e obtido pelo jornal Folha de S. Paulo, Walter Delgatti Neto, principal suspeito de hackear o Telegram de autoridades brasileiras, afirmou que não copiou mensagens de outros alvos de invasão, como a ex-presidente Dilma Rousseff, o ex-procurador-geral Rodrigo Janot e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

Foto: Arquivo Pessoal

Dois meses após o início das audiências dos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes, o delegado da primeira fase do caso, Giniton Lages, e a viúva de Marielle, Mônica Benício, prestarão depoimento em outra audiência nesta sexta-feira (2).

Foto: Reprodução / Central Notícia

Policiais que participaram do caso que resultou na morte de uma dançarina (ver aqui) são ouvidos nesta sexta-feira (5) em Irecê, no centro norte do estado. Segundo o delegado Almir Fernandes, da 14ª Coorpin, que apura o caso, alguns PMs já prestaram depoimento durante a madrugada, e o restante deve ser interrogado até o final do dia. Os primeiros depoimentos reforçam a versão já apresentada pela Polícia local.

Foto: Alberto Maraux / SSP

O digital influencer e empresário Iuri Sheik confessou, em depoimento prestado nesta quinta-feira (27), que foi o autor do disparo que vitimou o empresário William Oliveira em uma festa de paredão na cidade de Santo Antônio de Jesus. A revelação foi feita ao responsável pela investigação, o delegado Edílson Magalhães, titular da 4ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Santo Antônio de Jesus).

Foto: Alberto Maraux

Com mandado de prisão preventiva cumprido na tarde desta quarta-feira (26), o empresário e influencer Iuri Sheik revelou em depoimento a delegada Clelba Regina Teles, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que perdeu a arma usada no crime que vitimou o empresário William Oliveira. Acompanhado de advogados, Sheik teve mandado cumprido no Departamento de Polícia do Interior (Depin), localizado na Piedade. Após passagem pelo Depin, ele será levado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) e lá o acusado realizará exames de corpo de delito. Por fim, Iuri Sheik vai ser levado para o sistema prisional. O empresário será ouvido ainda esta semana pelo delegado Edilson Magalhães

Close