Últimas Notícias sobre ministro

Ministro da Cidadania, Osmar Terra, em pronunciamento na Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO) - 22 de maio de 2019 — Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Em audiência que debatia a regulamentação da maconha para fins medicinais no Brasil, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, declarou que a liberação do plantio da cannabis deve estimular o “consumo generalizado” de drogas. A audiência, na terça-feira (9), foi na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH). O ministro Osmar Terra avalia que a legalização da maconha, ainda que limitada à finalidade científica e terapêutica, seria difícil de controlar no Brasil. “Se abrir as portas do plantio, vai ter consumo generalizado”, afirmou. “Se não se controla com a proibição, imagina controlar no detalhe? É o começo da legalização da maconha no Brasil.”

Foto: Rafael Carvalho/Casa Civil

O Ministério da Educação (MEC) solicitou à Wikipedia que tire do ar o perfil do titular da pasta, Abraham Weintraub, na última quinta-feira (27), de acordo com informações do Estadão. A página foi editada 25 vezes da última segunda-feira (1º) até esta quinta-feira (4) e atualmente está bloqueada para novas mudanças.

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Jorge Oliveira, o novo ministro da Secretaria Geral da Presidência, defendeu Jair Bolsonaro no Supremo Tribunal Federal (STF) em um processo movido por Jean Wyllys, arquivado no ano passado, segundo a coluna de Guilherme Amado, da Época.

Foto: Gustavo Garcia/G1

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, afirmou nesta quinta-feira (27) que o militar brasileiro preso em Sevilha com cocaína será julgado “sem condescendência” na Espanha e no Brasil. O sargento da Força Aérea Brasileira (FAB) foi preso na terça (25) com 39 quilos da droga. Segundo o ministro, o fato é “isolado”, e o governo agirá “com total transparência”. “Tudo que puder ser divulgado, que não comprometer o curso das investigações, será divulgado. O militar será julgado sem condescendência pela Justiça da Espanha e pela própria Justiça brasileira, conforme determinam as leis de ambos os países”, declarou Azevedo e Silva “Ressalto que não vamos admitir criminosos entre nós. Nesse caso, houve a quebra de confiança.

© Agência Senado

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes anulou nesta quarta-feira (26) a decisão da decisão da Justiça do Distrito Federal que autorizou o senador Acir Gurcacz (PDT-RO) a viajar para Aruba, em julho.

Foto: Reprodução / G1

O ministro Santos Cruz, da Secretaria de Governo, vai deixar o ministério do presidente Jair Bolsonaro. Figurando como a primeira baixa de um ministro militar do governo.

Foto: Isaac Amorim/MJSP

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, defendeu, hoje (6), que as empresas brasileiras contratem pessoas que cumprem pena ou que deixaram o sistema prisional. Para o ministro, é importante que os empresários ofereçam oportunidades aos presos que buscam uma oportunidade de se reinserir na sociedade por meio do trabalho e do estudo.

Foto: © Reuters

Para o ministro da Educação, Abraham Weintraub, filmar professores em sala de aula é um direito dos alunos. Ele disse que ainda irá analisar o conteúdo dos vídeos compartilhados nas redes sociais neste domingo, 28, pelo presidente Jair Bolsonaro e por seu filho, Carlos, para saber se alguma irregularidade foi cometida pelos educadores. “Não incentivo ninguém a filmar uma conversa na rua, mas elas têm direito de filmar. Isso é liberdade individual de cada um. Vou olhar os casos com calma. Não faremos nada de supetão”, afirmou ao jornal O Estado de S. Paulo, lembrando que, como professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)

Foto: Reprodução / Marcelo Camargo / Agência Brasil

Abraham Weintraub, o novo ministro da Educação, não esconde que está sentando em cima de vários processos para a escolha de reitores das universidades federais. De acordo com o jornal O Globo, Weintraub quer ter certeza de que não vai chancelar a chegada de nenhum esquerdista ao poder.

Foto: Divulgação/STF

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou o bloqueio de contas em redes sociais e do WhatsApp de sete pessoas investigadas por publicarem ofensas contra a Corte. Em decisão sigilosa, o magistrado diz que foram verificadas mensagens com “conteúdo de ódio e de subversão da ordem” direcionadas ao STF. Os suspeitos foram alvos de buscas e apreensões realizadas pela Polícia Federal no Distrito Federal, em Goiás e em São Paulo nesta terça-feira, 16. A medida é resultado de uma investigação instaurada a pedido do presidente da Corte, ministro Dias Toffolli, em 14 de março.

Close