Turista adolescente morre em hospital do sul da Bahia com suspeita de H1N1

0
111
-
FOTO: GETTY IMAGES

Uma turista de 17 anos, de São Paulo, morreu no Hospital Regional Luís Eduardo Magalhães, em Porto Seguro, no sul da Bahia, no sábado (13), e a suspeita é que a causa da morte tenha sido a influenza H1N1.

O corpo da adolescente foi levado para São Paulo na noite de domingo (14), onde será sepultado. A menina estava viajando em uma excursão com a turma da escola. Em nota, empresa Forma Turismo, que é especializada em viagens estudantis, lamento a morte da adolescente. “A empresa está cooperando com as autoridades locais e prestando todo suporte à família da estudante”, diz trecho do documento.

A Secretaria Municipal de Saúde de Porto Seguro divulgou nota na manhã desta segunda-feira (15), lamentando a morte da estudante. O órgão ainda destacou que o caso foi isolado e que não existe surto da doença na cidade.

Ainda segundo a Secretaria de Saúde, a morte da adolescente está sendo investigada e que estão aguardando resultado de testes que confirmarão ou não a ocorrência da H1N1.

A nota informa ainda que duas pessoas que tiveram contato direto com a paciente estão hospitalizadas e sendo medicadas. A Secretaria de Saúde ainda disse que, segundo investigação epidemiológica, o caso suspeito foi importado de outro estado, ou seja, a adolescente já chegou na Bahia com a doença.

Após a identificação do caso suspeito, o órgão afirmou que foram adotadas as seguintes medidas:

  • Coleta de material para análise laboratorial
  • Iniciado imediatamente o tratamento com o medicamento Tamiflu após a suspeita clínica, independentemente da coleta de material para análise laboratorial
  • Isolamento dos casos suspeitos
  • Vigilância ativa e notificação imediata de adoecimento, com sinais e sintomas
  • Alerta às equipes das unidades de saúde, incluindo as equipes da Vigilância Epidemiológica Hospitalar, quanto à vigilância de casos suspeitos, atentando para a notificação
  • Especial atenção para pacientes suspeitos e com histórias de deslocamento para áreas com casos confirmados e contato com outros pacientes doentes
  • Intensificação das ações de ed ucação, informação e comunicação em saúde. (G1)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui