Ufba recomenda flexibilizações de aulas após casos de violência em Salvador

Foto: Divulgação/UFBA

A Universidade Federal da Bahia (Ufba) anunciou nesta terça-feira (10) que irá tomar medidas excepcionais para garantir a segurança dos estudantes devido a “escalada de violência” que acomete diversos bairros de Salvador nos últimos dias. 

A instituição recomenda aos professores, em especial aos que ministram aulas nos horários noturnos, que flexibilizem tanto quanto possível tomadas de frequência, prazos de entrega de trabalhos e realização de provas. 

Essa flexibilização, no entanto, não significa suspensão de atividades, comenta a Ufba em nota. Trata-se de “um olhar cuidadoso e acolhedor ante dificuldades que possam ocorrer independentemente da vontade dos estudantes. É desejável que todos cumpram com a carga horária e as obrigações de seus cursos, mas esse compromisso não deve desconhecer contextos nos quais a segurança do discente se encontre ameaçada.”

Escalada de violência

Salvador vive em constante tensão desde o último final de semana após as mortes de policiais militares. No sábado, o soldado Alexandre José Ferreira Menezes Silva, 30, levou um tiro na cabeça e morreu enquanto trabalhava no bairro Águas Claras. De acordo com informações da PM, duas viaturas com equipes da 3ª Companhia Independente (CIPM/Cajazeiras) estavam fazendo rondas de rotina na Rua Ulisses Guimarães quando, por volta das 22h, quando foram recebidas a tiros por um grupo de homens armados. No tiroteio, dois soldados da PM ficaram feridos. Alexandre, que foi baleado na cabeça, e seu colega, Danilo Nunes Pinto Souza, atingido de raspão na orelha.

Na noite de domingo (9), outros dois policiais militares foram atacados por criminosos quando retornavam do velório de Alexandre. Eles foram alcançados no bairro Fazenda Grande I, Boca da Mata. Um dos militares foi socorrido ao Hospital Municipal de Salvador, enquanto o outro militar recebeu atendimento do Samu no local. No entanto, não resistiram aos ferimentos e morreram.

Operações são realizadas pela PM em busca dos suspeitos. Até o momento, três envolvidos nas mortes dos militares já foram mortos em confronto. Outros dois foram baleados e recebem cuidados médicos.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que “que todas as forças de segurança estão atuando em conjunto para elucidar, identificar e capturar todos os envolvidos nas mortes de três policiais militares”. Ainda de acordo com a secretaria, as famílias estão recebendo assistência da instituição.

Violência na universidade

A Universidade Federal da Bahia (Ufba) foi palco de uma tentativa de assalto no último dia 28 de abril. Um homem armado adentrou o campus de Ondina, onde tentou levar o carro de um professor da Universidade. Ninguém ficou ferido.

De acordo com nota da instituição, o professor acionou a segurança quando percebeu que seu veículo havia sido invadido. O guarda entrou em contato com a portaria principal, através de rádio comunicador, e os portões foram fechados. Impedido de sair de carro, o assaltante abandonou o veículo, assim como os pertences da vítima, e fugiu a pé.

Os seguranças não tentaram impedir a fuga, uma vez que o suspeito estava armado. A Polícia Militar foi acionada e chegou a perseguir o assaltante no local. Imagens do sistema de vigilância eletrônica da universidade foram encaminhados à Polícia.

A UFBA solicitou à Polícia Militar a intensificação do patrulhamento no entorno dos campi e garantiu que foi atendida, com o policiamento ostensivo nas entradas e saídas dos campi, e durante a noite.

“Esta reação é consequência do conjunto de ações que a Reitoria da UFBA determinou, visando a proteger seu espaço físico da escalada de violência que aflige a sociedade baiana e brasileira, em função da grave crise social que o país atravessa”, diz nota.

As medidas tomadas pela Universidade incluem a intensificação de rondas internas com motos, o reforço das equipes de vigilância até o limite permitido nos contratos, e o incremento do sistema de câmeras de vigilância.

Correio 24h