Wagner: PT vai se empenhar por anulação de sentença que torna Lula inelegível

0
71
-
Foto: Matheus Morais/bahia.ba

Em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (14), em Salvador, o senador Jaques Wagner afirmou que, após a soltura do ex-presidente Lula, o Partido dos Trabalhadores vai concentrar esforços para anular sua condenação no caso do triplex do Guarujá, o que lhe torna inelegível por oito anos.

“Nossa tarefa é continuar dialogando com o Judiciário brasileiro o no sentido de a sentença dele ser anulada”, afirmou Wagner no Wish Hotel da Bahia, onde a executiva nacional do PT está reunida, com participação de Lula.

Se conseguir anular sua condenação, Lula poderá ser candidato em 2022, mas para Wagner, ainda que ele não tenha êxito, terá papel fundamental na disputa pela sucessão de Jair Bolsonaro e também já nas eleições municipais de 2020.

“Eu não tenho dúvida nenhuma (da importância de Lula), principalmente no Nordeste, onde o impulso da prosperidade se destacou muito mais, exatamente porque nós eramos a região mais deprimida. Não tenho dúvida de que ele será uma peça muito importante na eleição de 2020 e de 2022. Ele é sem duvida nenhuma a maior liderança popular dos últimos 50 anos. Agora mais ainda, pela injustiça cometida contra ele, eu diria que cresce o sentimento de solidariedade a ele, e cresce a saudade dos tempos dele, porque foram tempos de prosperidade, de avanços de direitos, totalmente diferente do que está acontecendo agora e do que aconteceu no governo do Michel.”

Wagner reafirmou o convite ao ex-presidente para morar na Bahia. “É uma coisa pessoal dele, mas eu fiz o convite. Até empresto o apartamento se ele quiser.”

Wagner candidato a governador?

O senador reafirmou também, nesta quinta-feira, que pode ser o candidato do PT à sucessão de Rui Costa no governo da Bahia em 2022, se for “uma tarefa de grupo”, mas ponderou que prefere um nome novo, de preferência mais jovem.

“Hoje a gente ouviu aqui algumas falas de pessoas da juventude do próprio PT. Eu vou continuar brigando por um processo de renovação geracional. Já disse que se for uma tarefa para manter a unidade do grupo, eu não vou jogar fora o que eu ajudei a construir desde 2006. É claro que vou continuar trabalhando isso, mas vou continuar fazendo a minha pregação. Vou estar com 72 anos em 2022. Eu acho que tem mais jovens que podem assumir. Mas isso está muito longe ainda.” (bahia.ba)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui