Ao Voz da Bahia, santoantoniense ex-The Voice Kids fala sobre estréia em minissérie ‘Sonhadores’

-
Foto: Divulgação

Nesta segunda-feira (29),  o ator e cantor Brunno Pastori esteve na Live do Meio-Dia e Meia do Voz Da Bahia e falou sobre sua carreira na música, e seus caminhos futuro como ator.

Bruno que participou do The Voice Kids 2017 na Rede Globo relembra que o programa foi um divisor de águas em sua vida, “eu não hesito em falar que a coisa mais marcante da minha vida foi o The Voice e eu irei dizer isso sempre, por que me trouxe muitas coisas boas e eu não estaria onde estou se não fosse pelo reconhecimento”, disse.

Sobre sua mudança juntamente com sua família para o Rio de Janeiro, Brunno conta que após passar no teste para fazer a série Os Sonhadores (leia mais abaixo), precisou se deslocar para outro estado para seguir o seu sonho, “eu sou agenciado pela Agência Cintra, no qual trabalha com atores e modelos e conversando com minha família, a gente realmente viu a necessidade de ir para o Rio, além do mercado de trabalho ser muito amplo aqui em relação a áreas artísticas, construir minha vida aqui não foi uma má ideia. Então a gente decidiu vim em busca dos meus sonhos”, disse.

Bruno pontua quê foi para o Rio de Janeiro com alguns trabalhos em vista entre eles testes com a Globo, “eu vim com planos projetos e ideias não só na minha cabeça, mas externamente a minha volta e com certeza não tenha dúvida que vem muita coisa boa por aí, e se Deus quiser em alguma emissora, um contrato, talvez, não sei, mas a gente veio de cabeça, porque nesse meio artístico, nesse meio da arte, nada é  certo, sempre tem algo novo para surgir para gente”, explica.

O artista revelou que não pretende se desvencilhar da música, contudo existem focos e caminhos que precisa seguir, “agora eu estou nessa vibe de ser ator, de filme, de teatro, de musical, que junta a arte cênica com a música, mas eu não vou me separar da música, porque estar em mim”, revela.

Sonhadores: é uma série autobiográfica que conta a história de Rafa, um menino de 14 anos e rara criatividade, que enfrenta o afastamento da sua maior referência: seu pai Miguel, um artista roqueiro desempregado. Rafa passava as tardes com Miguel desenhando, criando histórias ao som do bom rock’n’roll baiano, enquanto a mãe, Ângela, sustentava e cuidava da casa sozinha. Após expulsar o marido, Ângela arruma um novo emprego, ânimo e um namorado mau caráter. Para além desses problemas, Rafa tentará salvar o pai da miserabilidade numa pensão em Salvador e da depressão. Na escola, o menino tem de lidar com o bullying violento dos colegas, a descoberta da sexualidade, das drogas e da sua vocação artística. Todos esses eventos são vistos sempre através do seu olhar, sua fértil imaginação artística e lado mórbido, tendo como pano de fundo o rock baiano e o rock’n’roll enquanto movimento cultural e atitude.

Bruno disse que viverá o personagem intenso com história emocionante, “uma história que conta às aventuras do dia-a-dia, os desafios, as inseguranças do protagonista Rafa. É uma série voltada com o olhar do protagonista perante essa situação que ele vive na família, sociedade, amigos e dos amigos do pai, é sempre tudo muito arquitetado para ele dar a visão dele e viver essas aventuras sendo gay e hétero, porque chega um momento que a própria sociedade nos confunde, além dos desafios de bullying que ele sofre na escola, a separação dos pais, mas sempre com a visão muito artística e mórbida”, falou.

Assista a entrevista abaixo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui