Após aglomeração, ACM Neto anuncia interdição por uma semana do calçadão entre o Porto da Barra e Ondina

ACM Neto anuncia fechamento da orla entre o Porto da Barra e a praia de Ondina — Foto: Reprodução / Facebook

O prefeito ACM Neto anunciou o fechamento, pelo prazo de sete dias, do calçadão da orla entre o Porto da Barra e a praia de Ondina, em Salvador. A medida, que tem como objetivo combater situações que possibilitem um crescimento no número de casos de coronavírus na cidade, entra em vigor na terça-feira (16).

No domingo, muitas pessoas em aglomeração foram flagradas no Farol da Barra. O secretário de Saúde, Fábio Vilas-Boas, criticou a situação.

Durante o período, não será permitido a realização de atividades físicas no trecho interditado. O acesso será garantido exclusivamente para moradores. A medida é parecida com a que foi imposta na Pituba, entre os dias 13 e 20 de maio, quando o trecho entre o Centro de Convenções e a Piscina Olímpica foi interditado.

“Vi as imagens divulgadas pela televisão. Venho dizendo a todo mundo para tomar cuidado, para sair com máscara, evitar aglomeração. Fizemos de tudo para não interditar a orla de Salvador. O ambiente aberto traz risco menor de contaminação. Agora, havendo aglomeração, o risco aumenta. Uma coisa é a pessoa usar a orla respeitando o distanciamento, outra coisa totalmente diferente é o que vimos ontem. Discutimos o que poderia ser feito, e não tem jeito. A pior coisa da vida é ser o chato da história. O cara que puxa a orelha. A gente fala, as pessoas infelizmente não ouvem”, disse ACM Neto.

“Infelizmente tenho que comunicar o fechamento do calçadão do Porto até Ondina pelo prazo inicial de sete dias, valendo a partir de amanhã”, comunicou o prefeito.

Durante a coletiva, o prefeito também comunicou a prorrogação das medidas restritivas impostas ao comércio, escolas e áreas públicas de Salvador até o dia 30 de junho. As praias seguem interditadas, enquanto shoppings, clubes sociais, academias de ginásticas e instituições de ensino seguem proibidas de funcionar normalmente. [Veja lista abaixo]

“Mais do que qualquer outra pessoa, gostaria de ser o porta-voz da retomada. Mas não sou irresponsável. Tenho o dever de zelar pela vida das pessoas. Tem uma pressão crescente do comércio para voltar. Me coloco no lugar dos empresários, sei que estão sofrendo. Não dá para voltar desse jeito. Não quero ser pessimista, mas estou traduzindo a realidade. A verdade é essa. Em outros lugares do mundo, as coisas avançaram mais rapidamente pelo comportamento das pessoas, que se comprometeram com o isolamento”, disse ACM Neto.

Atividades que seguem sem poder funcionar até 30 de junho

  • Suspensão das atividades das academias de ginástica, cinemas, teatros e demais casas de espetáculo e parques infantis;
  • Suspensão das atividades de classe da rede municipal de educação e das escolas privadas;
  • Limitação de público em no máximo 50 pessoas para eventos que causem aglomeração, desde que mantida distância mínima de 1,5m entre as pessoas;
  • Suspensão das atividades dos shoppings centers, centros comerciais e correlatos, com exceção do drive-thru;
  • Suspensão do funcionamento dos clubes sociais, recreativos e esportivos;
  • Interdição das praias para a população e proibição da realização de atividades de comércio nos mesmos espaços;
  • Suspensão das atividades do comércio de rua para estabelecimentos acima de 200 metros quadrados, com as excepcionalidades mencionadas acima;
  • Redução em 30% do número de funcionários de call centers;
  • Suspensão das atividades de casas de show e espetáculos, boates, danceterias, salões de dança, casas de festa e eventos;
  • Suspensão das atividades de salões de beleza
  • Suspensão das atividades de bares, restaurantes, lanchonetes e lojas de conveniência situadas em postos de combustíveis, com exceção daqueles estabelecimentos que fazem delivery ou entrega de produtos no balcão;
  • Proibição de ações de emissão sonora em logradouros públicos e estabelecimentos particulares;
  • Fechamento dos mercados municipais de Itapuã, de Cajazeiras, das Flores, do Bonfim e do Mercado Antônio Lima, na Liberdade;
  • Suspensão da exigência de pagamento dos estacionamentos da Zona Azul;
  • Mercados e supermercados devem estabelecer horário especial de atendimento, das 7h às 9h, para idosos, pessoas com diagnóstico de câncer e em uso de medicamentos imunossupressores;
  • Uso obrigatório de máscaras no transporte público, particular, estabelecimentos comerciais e ambientes laborais, tanto para trabalhadores quanto clientes ou consumidores;

As óticas com espaço acima de 200 metros quadrados, entretanto, foram liberadas para abrir as portas, desde que respeitem protocolo que ainda será divulgado pela gestão municipal.

O prefeito ainda comunicou a publicação de um decreto que obriga agências lotéricas e bancos particulares a designar funcionários para organizar filas, mesmo aquelas que ficam fora dos estabelecimentos. A medida entra em vigor na sexta-feira (19).

Panorama do coronavírus em Salvador

O prefeito expôs ainda um panorama geral da situação do coronavírus em Salvador. A capital baiana registra 19.860 casos confirmados de coronavírus, com 742 mortes em decorrência da doença. Com relação à taxa de ocupação, dos 581 leitos clínicos disponíveis na cidade para pacientes com a Covid-19, 434 estão ocupados, o que representa uma ocupação de 75%. Já os leitos de UTI têm ocupação de 84%, com 468 leitos com pacientes de um total de 558 disponíveis.

“Esperávamos reduzir um pouco essa taxa de ocupação dos leitos, mas o fato concreto é que para a gente ter alívio maior, seria fundamental reduzir a demanda, ou seja, a quantidade de novos pacientes que necessitam de internamento hospitalar. Por enquanto, estamos administrando a taxa de ocupação e evitamos o colapso com a oferta de novos leitos”, pontuou o prefeito. (G1/Ba)