Após atrito entre China e Eduardo Bolsonaro, PCdoB pede destituição do deputado da presidência do CRE

-
Foto : Luís Macedo / Câmara dos Deputados

Após o deputado Eduardo Bolsonaro acusar o Partido Comunista Chinês de espionagem, ao falar sobre a adesão do Brasil à chamada Clean Network (Rede Limpa), cujo objetivo é banir a Huawei, (empresa chinesa) dos serviços de tecnologia 5G, o partido PCdoB entrou hoje (27) com um requerimento na Câmara dos Deputados para destituir Eduardo da presidência da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional.

Em publicação em rede social, a deputada Alice Portugal defende que o partido não pode se omitir “frente as agressões contra a China, maior parceiro comercial do Brasil”. E afirma: “Eduardo Bolsonaro não sabe nada sobre relações internacionais. Tem que sair!”.

A embaixada da China fez, na última terça (24), uma reclamação formal ao governo brasileiro contra a publicação de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

O Itamaraty enviou na quarta (25) uma carta à embaixada da China no Brasil, com críticas à forma como a representação do país asiático reagiu às publicações feitas pelo deputado. (Leia mais)

O PCdoB afirmou hoje (27), em publicação no Twitter, que cobrará um posicionamento do Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, sobre o posicionamento do Itamaraty.

“Não vamos permitir que o Itamaraty vire um braço ideológico dos devaneios da família Bolsonaro. Vamos convocar imediatamente  Ernesto Araújo para mais explicações!”, diz a publicação do partido. (Metro1)