Bolsonaro diz que prorrogação de auxílio emergencial é quase certa

-
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que “está quase certo” que haverá duas novas parcelas do auxílio emergencial para trabalhadores informais afetados pela crise econômica da Covid-19. O valor não está definido.

Ele afirmou ainda que o governo quer retomar a proposta da Carteira Verde e Amarela como forma de reaquecer o mercado de trabalho após a pior fase do novo coronavírus.

“Esse próprio auxílio emergencial de R$ 600 que está quase certo (que haverá) a quarta e quinta parcela, de valores menores um pouco, que está sendo ajustado pelo Ministério da Economia”, disse Bolsonaro na noite de terça-feira (2), na porta do Palácio da Alvorada. Inicialmente, o socorro se daria em três parcelas de R$ 600, a última, agora em junho.

O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, havia informado na semana passada que o auxílio provavelmente seria prorrogado. O ministro da Economia, Paulo Guedes, já disse querer um valor de R$ 200.

Bolsonaro também confirmou que Guedes quer retomar a chamada Carteira Verde e Amarela, que flexibiliza os contratos de trabalho. A medida provisória que criava o Programa Verde Amarelo perdeu a validade antes de ser aprovada pelo Congresso.

“Ele (Guedes) quer voltar com a Carteira Verde e Amarela. É uma forma de reaquecer o emprego no Brasil. A gente não pode acabar com o auxílio emergencial e não ter algo já de concreto na praça para atender milhões de pessoas, em especial da informalidade, que foi desempregado”, disse Bolsonaro. (O Tempo)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui