Depois de matar esposa, engenheiro se diz arrependido, mas Justiça não alivia

Imagens: Redes Sociais

O engenheiro Reges Amauri Krucinski, de 43 anos, que confessou ter matado a própria mulher, a jornalista Juliana de Freitas, de 41 anos, disse, durante uma audiência de custódia realizada na cidade de Porto Seguro, no Sul do estado, nesta terça-feira (11), que está arrependido de ter atirado contra a mãe de sua filha, uma bebê de menos de um ano.

Depois de ser ouvido, a Justiça decidiu manter a prisão preventiva dele. De acordo com informações da TV Record Itapoan, ele está detido no Distrito Integrado De Segurança Pública (Disep), em Porto Seguro. Os órgãos de segurança não informaram quando ele será transferido para o Conjunto Penal de Eunápolis, município vizinho.

Crime

Reges e Juliana, que são de um outro estado, estavam há seis meses em Porto Seguro. O casal teria se mudado para a Bahia com planos de abrir um hotel na cidade turística — os dois discordavam da ideia.

Durante uma discussão no último dia do ano de 2021, o engenheiro, que é praticante de tiro esportivo, e que, portanto, tem posse legal de arma, usou o resolver para matar a esposa com pelo menos quatro tiros.

O crime foi presenciado pela filha deles; pela filha de Juliana, uma garota de 10 anos; a filha de Reges, de 14 anos; além de uma babá e a irmã da jornalista.

Desespero

Um dia depois de ter sido preso, o agressor entrou em desespero. De acordo com informação da Polícia Civil, Reges se feriu ao bater a cabeça por diversas vezes na grade da carceragem.

Devido aos ferimentos provocados pelo impacto com o material metálico, os policiais tiveram que acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). 

por Nilson Marinho / BNews