Dr. Christian acredita que em S. A. de Jesus possa existir casos de infectados pelo novo coronavírus

-
Dr. Christian Ferraz, pré-candidato a prefeito de Santo Antônio de Jesus/BA - Foto: Voz da Bahia

O Voz da Bahia entrevistou na segunda-feira (27/04), no programa Meio-Dia e Meia o pré-candidato a prefeito e médico de Santo Antônio de Jesus, Dr. Christian Ferraz (PP), que explicou sua pré-candidatura a prefeito e apontou que Rogério Andrade (PSD) “é um legislador nato, não prefeito” (relembre aqui). Nesta segunda parte da entrevista, Christian explicou detalhes e deu recomendações ao município sobre o novo coronavírus, doença que tem matado milhares de pessoas no mundo inteiro.

“O PIOR DA DOENÇA ACONTECE NA ALMA”:

O médico aproveitou para falar sobre a preocupação com as pessoas infectadas e não infectadas, mas principalmente com a alma delas, “eu tenho uma preocupação muito grande a qualquer assunto que possa atingir pessoas, o bom médico é aquele que lida com a alma humana, as doenças existem, mas a pior doença acontece na alma. A falta de fé, Deus e perspectiva traz doenças psicossomáticas. Em relação ao Covid-19, eu manifestei minha preocupação, cheguei a conversar com agentes públicos sobre o assunto e achei a questão muito despreparada no cenário local, infelizmente, outros interesses faz o foco principal deixe de ter atenção ideal”, afirmou.

EXPLICAÇÃO DO SURGIMENTO DO VÍRUS:

Dr. Christian falou sobre detalhes técnicos e como o vírus surgiu no final do ano de 2019 na China, “o coronavírus já existia há algum tempo começou em 2003 na China, mas era de maior capacidade de letalidade, matando 20% das pessoas que se infectavam, mas não infectava tanta gente, sendo contornado no pais no mesmo ano. Em 2019, o coronavírus foi descoberto pelo chinês Li Wenliang, um oftalmologista de um hospital que dá assistência a uma cidade da proporção de Salvador na Bahia. Nessa cidade, surgiram algumas pessoas que ficavam doentes por causa de uma ‘virose’, onde em poucos dias entravam em um quadro de colapso respiratório grave e morria horas depois. Foram 8 casos iniciais e esse oftalmologista identificou os casos, divulgando nas redes sociais. O líder chinês do país mandou a força policial para a casa do médico e mandou que ele se calasse, meses depois estourou na China a epidemia chamada inicialmente de Corona-19, sendo o vírus, o mesmo de 2003, mas com algumas mutações genética”, falou.

SOBRE O CORONAVÍRUS:

No início de fevereiro, a Organização Mundial da Saúde (OMS) nomeou oficialmente a doença causada pelo novo coronavírus de Covid-19, que significa Corona Vírus Disease (Doença do Coronavírus), que foi descoberto em 2019, Christian expôs: “o médico foi para a linha de frente, humildemente, e acabou pegando aquela bomba dos primeiros casos de Covid-19. A diferença é que o coronavírus, é o vírus propriamente dito, que pode infectar e desenvolver doença ou não, onde ao passar de 14 dias, vamos nos libertando por causa dos nossos anticorpos, 20% das pessoas podem desenvolver casos leves ou graves de Covid-19. Por sua vez, Covid-19 significa Corona Vírus Disease, que significa ‘doença do coronavírus’ em inglês. Ela é a doença causada pelo vírus, onde os outros 80% não pegam. Na verdade, o que é importante dizer é que a Covid-19 tem uma alta taxa de mortalidade, com capacidade de desenvolver um quadro de insuficiência respiratória muito rapidamente, e matar. Em média, a cada 1000 pessoas, de 4 à 6 morrem de Covid-19”.

DOENÇAS QUE MATAM MAIS:

O médico falou também da importância de evitar casos de xenofobia, ou seja, o preconceito que a doença pode causar. Ele lembra às inúmeras outras doenças que matam milhares de pessoas todos os dias, muito mais que o Covid-19, “existem várias outras doenças que matam muito mais: a dengue, acidentes, infecções, a tuberculose, e até tétano, leptospirose, pneumonia, vírus H1N1 e outros. O coronavírus é preocupante porque se tornou pandêmico, mas tem situações de vida muito piores que matam muito mais. É importante ressaltar que o coronavírus é um vírus democrático: ataca negros e brancos, baixos e altos, homens e mulheres, heterossexuais e homossexuais, ricos e pobres, religiosos e não religiosos, católicos e evangélicos, ataca qualquer pessoa. Tem coisas positivas, o coronavírus não faz transmissão vertical, de passagem de um vírus de uma gestante para o bebê no útero, nem via sanguínea, nem via relação sexual. Mas ele precisa ser encarado com seriedade”, esclareceu.

CORONAVÍRUS EM SANTO ANTÔNIO DE JESUS:

O Dr. Christian Ferraz contou da importância de explicar sobre a doença com a população, e principalmente de buscar médicos que possam somar contra a disseminação do coronavírus, “não adianta eu sentar com 300 pessoas que representam sim, a sociedade, mas que não representa aquele assunto específico. Tenho que me reunir com a equipe da Secretaria Municipal de Saúde, Conselho Municipal de Saúde, representantes de Clínicas privadas de Santo Antônio de Jesus, com o Hospital Regional, com a Associação Comercial da cidade, pessoas e órgãos que representam de fato, o assunto, além dos representantes religiosos, como moderadores, mais principalmente com os médicos e enfermeiros. Mediante a isso, o agente público, seja ele prefeito, ou secretário de saúde, estaria conversando e representando a cidade com mais propriedade. Eu, como médico, corri para estudar sobre o assunto, porque eu não posso contaminar minhas pacientes de forma nenhuma, deve haver sempre um protocolo de proteção”, disse.

FISCALIZAR:

Ferraz contou também, que acredita que em Santo Antônio de Jesus possa existir casos de infectados pelo novo coronavírus, “as estatísticas já dizem isto, pode haver casos, mas não há uma má intenção, são poucos testes, agora é uma ação que até pode ajudar a população. Deve haver um cuidado, pois talvez a omissão de informações são falsamente tranquilizadoras e faz com que o povo de Santo Antônio de Jesus pense que a cidade está abençoada: ‘então a gente pode se amontoar’, dizem as pessoas. Quem pode andar juntos são pessoas da mesma família, se um amigo chegar ao local, mantenha a distância de um metro ou mais, mas recomendo dois metros. As filas é um bom exemplo disso, muitas aglomerações, ali deveria ter um agente de saúde. Se um dia eu for prefeito de Santo Antônio de Jesus, eu tenho a obrigação de estar com a equipe o dia inteiro vigilante para orientar a população, deve ter uma equipe de saúde preparada para ali ir orientando a população, se às filas se formassem, alguém com os Epis (Equipamento de Orientação Individual) para fornecer. Agora Marcus, não basta só oferecer máscaras, ou o álcool gel, tem que fiscalizar, é uma prerrogativa importante do município”, concluiu.

Reportagem: Voz da Bahia