Dr. Leonel não condena acordo de Genival com os ex-vereadores de oposição por cargos na gestão e revela: “os chamo de filhos adotivos”

Secretário de Saúde e presidente do PSDB de Santo Antônio de Jesus / Foto: Voz da Bahia

No programa Meio-Dia e Meia na Live do Voz da Bahia de sexta-feira (12), o Secretário de Saúde e presidente do PSDB de Santo Antônio de Jesus, Dr. Leonel Cafezeiro, na 3ª parte desta entrevista deu o seu parecer sobre aos cargos oferecidos pelo prefeito Genival Deolino (PSDB) aos vereadores de oposição para fazer a presidência da Câmara de Vereadores do município.

POLÊMICA DA NEGOCIAÇÃO DOS CARGOS PARA ELEIÇÃO DA CÂMARA:

Sem dúvida, as concessões feitas entre o atual prefeito Genival Deolino e alguns vereadores da Câmara de Santo Antônio de Jesus é um dos assuntos polêmicos e mais comentados no meio político (relembre aqui). Questionado sobre esse acordo para fazer a presidência da Câmara, Leonel busca concordar ao explicitar que a Prefeitura depende da Câmara, “o regime que nós vivemos, o executivo, depende do legislativo. O grupo político que elegeu Genival Deolino prefeito, não elegeu a maioria dos vereadores, então foram 4 que estavam nos partidos que apoiaram Genival e 10 nos partidos que apoiaram o ex-prefeito Rogério Andrade (PSDB) e naturalmente que para que o prefeito tivesse a Câmara a seu favor para dar andamento e aprove aqueles projetos que ele precisa para executar do seu plano de governo, era necessário que se acolhesse o que eu chamo até de filhos adotivos [Cristiano Sena (PSD); Danilo do Alto (PL); Dalva Mercês (PSB) e Dema do Leite (PSD)]; porque os 4 que foram eleitos, eu chamo de filhos naturais [Caíque Barbosa (PSDB); Dr. Gil Couto (PSDB); Chico de Dega (DEM) e Tia Adriana Nogueira (PRB)] e os outros são os adotivos e a gente não pode tratar os adotivos diferentes dos outros. Esses 4 que foram eleitos dentro dos partidos que apoiaram a Genival tiveram essa compreensão da necessidade de acolher aqueles que estavam chegando e eu realmente não posso aqui condenar, houve um acordo e as pessoas que vem, os vereadores que vão chegando, naturalmente, querem acolher aqueles que participaram com ele na campanha, que ajudaram a elege-lo e querem que essas pessoas participem da gestão, a qual ele vai aderir e que venham junto com ele”, expôs.

“COMO É QUE VOCÊ VIAJA E DEIXA AS MALAS?”:

O secretário trouxe à tona uma história da política de Santo Antônio de Jesus: “eu me lembro de uma ocasião um determinado vereador que de um grupo político iria apoiar outro, na época era Ursicino Queiroz (ex-deputado federal in memoriam), e ele chegou para dá apoio a ele e disse – quem vem com você? E o vereador argumentou – venho sozinho; – como é que você viaja e deixa as malas em casa e não carrega a bagagem? Ursicino usou este termo e não me esqueço”, contou.

“NINGUÉM É PERMANENTE NO CARGO”:

Dr. Leonel ainda assegura que essa é apenas sua opinião como cidadão, contudo quem tem que responder esses questionamentos é o prefeito eleito que decidiu essa negociação, “o prefeito irá avaliar essas pessoas, porque no momento que elas não corresponderem ao seu projeto de governo, poderão ser retiradas; ninguém na administração à não ser o prefeito e o vice-prefeito, ninguém é permanente, ele pode tirar qualquer um, a qualquer momento, a qualquer hora, pode ser quem for”, disse.

Reportagem: Voz da Bahia