Estudo revela que alimentar cães apenas uma vez por dia pode ser a chave para envelhecimento saudável

Projeto Mundo Cão/Divulgação

Uma análise liderada por um grupo de biólogos, veterinários e cientistas do programa Dog Aging Project prevê que cachorros que comem uma vez por dia têm menor chance de desenvolver doenças relacionadas à idade e ainda podem melhorar as funções cognitivas em relação aos pets que se alimentam com mais frequência. O estudo foi feto com cerca de 24 mil cachorros. Para realizar o estudo, foram coletados dados em dezembro de 2019 e 2020.

Apesar dos resultados, o estudo alerta que os tutores não podem mudar repentinamente a frequência de alimentação dos animais por conta própria. Para isso, é necessário a orientação do médico veterinário que acompanha o pet.

Para pesquisar o efeito da alimentação sobre a saúde do cão, os estudiosos colheram cachorros de 1 a 18 anos. Já para analisar os efeitos sobre a cognição, os pesquisadores analisaram cães de 6 a 18 anos. De acordo com o artigo, seis é a idade a partir da qual os pets começam a ter perdas cognitivas.

O estudo, que ainda está em fase pré-print, quando um artigo ainda não foi revisado por pares, diz: “Controlando por sexo, idade, raça e outros fatores de confusão em potencial, descobrimos que cães alimentados uma vez ao dia, em vez de com maior frequência, tinham pontuações médias mais baixas em uma escala de disfunção cognitiva e menor chance de desenvolver doenças“.

De acordo com o estudo, em cinco das nove doenças estudadas, a associação entre a alimentação uma vez ao dia e a melhora de saúde foram “estatisticamente significativas”. As doenças analisadas foram: problemas gastrointestinais, dentários/orais, ortopédicos, renais/urinários e hepáticos/de pâncreas.

As outras quatro doenças, porém, apresentam uma melhora, mas em menor grau. As doenças são: cardíacas, cutâneas, neurológicas e câncer.

O pesquisador Matt Kaeberlein deixa claro que outros fatores também entram nesses processos de envelhecimento, mas ressaltou que a “evidência correlativa é bastante convincente”. Apesar disso, ainda não se tem informações do por quê comer mais por der menos saudável. (bNews)