Filhas de Gugu acusam tia de esconder dinheiro: ‘Tentou manipular a gente’

As gêmeas Sofia e Marina Liberato, filhas de Gugu Liberato, acusaram publicamente a tia, Aparecida Liberato, de esconder o dinheiro da herança e assinar documentos em nome delas, sem permissão.

Em um vídeo, publicado exclusivamente pelo colunista Léo Dias, da Metrópoles, elas se dizem insatisfeitas por receberem apenas 500 dólares cada de mesada.

“Eu pedi para minha tia a Porsche que eu sempre sonhei em ter. Ela disse que falou com a promotora e que a mesma disse que eu não poderia ter esse carro porque era muito de luxo para uma ‘criança’ de 17 anos. E eu não poderia ter ter também porque era muito caro. Eu achei muito estranho e procurei um carro mais barato. No final, eu acabei comprando um carro pela metade do preço do que aquele que eu queria”, diz Sofia.

As irmãs alegam insatisfação com a administração dos bens do pai e reclamam da falta de informações entregues pelos advogados sobre a herança.

“Minha tia e os advogados dizem que minha mãe não tinha união estável com meu pai, mas eles tinham sim, nós éramos uma família e só quem sabe a verdade somos nós, eu não sei por que eles não reconhecem minha mãe como companheira do meu pai, porque eu reconheço”, afirma Sofia em entrevista ao colunista Leo Dias.

As adolescentes de 17 anos afirmam que não estão sendo manipuladas pela mãe após declaração do irmão mais velho. “Minha tia fala que a minha mãe manipulou a gente. Não é ela que manipulou a gente. É a minha tia que tentou manipular a gente”, complementa Marina, que ainda afirma que o irmão mais velho, João Augusto, estaria sendo manipulado pela tia.

HERANÇA
No vídeos, a gêmeas diz que a mãe, Rose Miriam, pretende abrir mão da herença assim que a família reconhecer a união estável com Gugu.

“Falei que o mais importante para a minha mãe era a união estável e não o dinheiro e que por isso ela abrirá mão do que tem direito, que acho que é 50% (da herança). Eles começaram a falar que não iam reconhecer porque ela não tinha união estável. Ela tem sim. Ela preenche os três requisitos, finalidade e constituição de família, relação duradoura e relação pública. Eles ficaram super bravos e começaram a rir da minha cara. Disseram que não iam discutir com uma criança. Me senti muito humilhada. Comecei a chorar”, relembra Marina. (Holofote)