Governo baiano avalia instalação de barreiras para conter manchas de óleo

0
40
-
Foto :Manu Dias/GOVBA

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), pediu avaliação técnica de órgãos federais para saber se é válida a compra de barreiras e bóias para conter o óleo e preservar os lugares mais sensíveis no estado.

O gestor se reuniu ontem (21) com o vice-almirante André Luiz Santana, comandante do 2º Distrito Naval, e com o ministro de Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, na sede da Marinha, no bairro do Comércio, em Salvador. 

- Anúncio -

“O objetivo é saber se há alguma solução técnica de limpeza, além da limpeza manual que já está acontecendo. A preocupação do Estado é a contaminação desenfreada dos manguezais, que são de extrema importância para a vida marinha e dos rios”, declarou Rui, de acordo com nota enviada à imprensa.  

Ainda de acordo com o governador, foi solicitada à Marinha indicação de especialistas que possam visitar os estuários atingidos.

Dos nove pontos de manguezal do Litoral Norte, sete deles foram atingidos pelo derramamento, sendo eles Jacuípe, Inhambupe, Imbassaí, Itaririri, Itapicuru, Subauma e Pojuca.

Segundo o ministro de Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, o objetivo do encontro com o governador foi conehcer as demandas da Bahia para enfrentar a situação.

“Queríamos ouvir do próprio governador Rui Costa o que estava faltando que fizéssemos, e nos colocar à disposição para atender aos anseios do Estado. Estamos trabalhando na investigação e também na limpeza do mar e das praias. É uma operação muito grande, com uma dificuldade técnica gigantesca, mas estamos conduzindo da melhor forma possível, com equipamentos e o envolvimento de mais de três mil servidores e colaboradores”, explicou Canuto. 

Também estiveram presentes na reunião representantes do Ibama-BA e do Grupo de Acompanhamento do Plano Nacional de Contingência do Derramamento de Óleo no Litoral Nordestino, o secretário do Meio Ambiente do Estado (Sema), João Carlos Oliveira da Silva e o chefe da Casa Civil da Bahia, Bruno Dauster.

(Metro1)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui