Justiça condena Ronnie Lessa por tentar destruir armas do assassinato de Marielle Franco

Foto: Divulgação

O ex-PM Ronnie Lessa, acusado de ter assassinado a vereadora Marielle Franco e seu motorista, Anderson Gomes, foi condenado pela Justiça pelo crime de destruição de provas. Elaine, a esposa de Lessa, o cunhado Bruno Figueiredo, e mais dois amigos dele identificados como Márcio Montavano, o Márcio Gordo, e Josinaldo Freitas, o Djaca, também foram condenados pelo mesmo crime.

Segundo o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), Ronnie e os outros quatro condenados jogaram armas no mar da Barra da Tijuca, quase um ano após a morte de Marielle e Anderson e dias após a prisão de Ronnie, em 12 de março. O órgão diz que a submetralhadora utilizada para matar a vereadora pode estar entre as armas descartadas.

Conforme o G1, as armas foram retiradas de um apartamento de Ronnie Lessa na Taquara dias antes da sua prisão, em 2019 e nunca foram encontradas. O ex-PM e os outros envolvidos foram condenados a quatro anos de prisão em regime aberto.

Ele segue preso na cadeia de segurança máxima de Mossoró, no Rio Grande do Norte, onde responde pelo assassinato. Os demais responderão em liberdade.

Conforme o G1, em depoimento, um pescador contou que um comparsa de Ronnie Lessa contratou seu barco e jogou seis armas no mar perto das Ilhas Tijucas. Um sonar da Marinha encontrou nove objetos na região, com tamanhos aproximados de 50 centímetros a dois metros, e estão numa profundidade de 15 a 30 metros. (A Tarde)