Justiça decreta prisão do ex-jogador de vôlei Giba por falta de pagamento da pensão alimentícia

Foto : Getty Images

Ex-capitão da seleção brasileira masculina de vôlei, Giba teve sua prisão decretada, pela 7ª Vara da Família do estado do Paraná, por não pagar a pensão alimentícia dos filhos. O processo foi movido pela ex-esposa do jogador, Cristina Pirv.

Segundo o Estadão, desde 2017 o campeão olímpico tenta diminuir o valor dos vencimentos, justificando perda de seus rendimentos após a aposentadoria das quadras. Giba tem dois filhos: Nicoll, de 16 anos, e Patric, de 12. Além da prisão, a juíza determinou também o pagamento do valor integral devido desde março de 2018, que totaliza R$ 300 mil.

Em entrevista ao globoesporte.com, o ex-jogador de vôlei disse que suas fontes de rendimento são insuficientes para cumprir com o pagamento de cerca de R$ 15 mil (valor corrigido pela inflação ao longo dos anos, originalmente o valor era de R$ 10 mil).

“Cansei de ficar quieto. São sete anos em que eu estou tomando porrada, em que ela (Cristina Pirv) procura a imprensa e expõe as crianças divulgando valores de processos que deveriam ser sigilosos. É inadmissível fazer isso com os nossos filhos. Se eu fosse um pai ruim, como ela diz, você acha que as crianças me ligariam todo dia, mandariam mensagem?”, indagou Giba.

A defesa de Giba alega que Cristina Pirv tem condições de dividir os custos mensais das crianças. Além disso, cita que o processo deixa o ex-campeão olímpico em situação de insolvência financeira por prejudicar sua imagem. (Metro1)