Nossa Senhora Aparecida recebe homenagens em Salvador

Foto: Uendel Gato

Diversas paróquias pelo país têm programação nesta terça-feira, 12, voltada para Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil. Em Salvador, a Paróquia Nossa Senhora Aparecida, a Capela Nossa Senhora Aparecida e o Santuário Nossa Senhora da Conceição Aparecida farão homenagens.

A Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Itinga, tem como tema esse ano “Com Maria e José, somos chamados a viver a Aliança em família, Igreja doméstica”. A programação conta com a alvorada, às 6h, seguida de duas missas, às 7h e às 9h.

Depois, os fiéis poderão acompanhar a imagem da Mãe Aparecida em uma carreata pelas ruas do bairro, retornando para a igreja para Missa Solene,presidida pelo bispo auxiliar Dom Dorival Souza Barreto Júnior.

Na Capela Nossa Senhora Aparecida, do 19º Batalhão de Caçadores (19BC), serão celebradas missas às 7h30 e às 9h30, com o tema “Com Maria somos povo de Deus, unido pela Aliança”. Além das celebrações, nesta terça, a capela está recebendo doações de materiais de limpeza destinados para a manutenção do espaço nos próximos meses. Houve na segunda, 11, a entrega dos prêmios aos vencedores do 2º Concurso Virtual de Altar Nossa Senhora Aparecida.

O Santuário Nossa Senhora da Conceição Aparecida, no Imbuí, foi todo ornamentado com flores no interior, laterais e presbitério para as celebrações do feriado. A programação especial começa com a alvorada, às 5h, seguida do Ofício de Nossa Senhora. As celebrações serão transmitidas no canal da paróquia no Youtube (youtube.com/aparecidaimbui).

Ao longo do dia, haverá as missas das Redes, às 6h30; dos Peregrinos, às 9h30; das Crianças, às 12h; novamente dos Peregrinos, às 15h; e a Missa Solene de encerramento, às 18h, presidida pelo bispo auxiliar Dom Valter Magno de Carvalho. Devido à pandemia, as celebrações contarão com número presencial de fiéis limitado a 400 pessoas e todos bilhetes, liberados na segunda no Instagram, já estão esgotados.

O padre Clériston Mendes, reitor e pároco do Santuário, conta que a história da santa católica começou em 1717, quando um grupo de pescadores do Rio Paraíba encontrou no fundo do rio uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, escurecida e com o corpo separado da cabeça. “Depois que eles encontraram aquela imagem de Nossa Senhora, muitos milagres, muitos sinais naqueles tempos difíceis, começaram a acontecer na vida daquela comunidade e essa devoção, que começou no vilarejo, se espalhou para todo o Brasil”, explica.

Um dos fiéis que estará presente nas celebrações desta terça é Élio Porto, 69, coordenador do grupo masculino do terço da paróquia, que ficou 21 dias internado com Covid-19. Claustrofóbico, Élio conta que precisou usar uma máscara. “O médico disse que ou eu usava a máscara ou ia ser entubado. Nesse momento, com o terço na mão, concentrei todas as minhas energias, pedi força a Nossa Senhora e pedi pra ele colocar. Quando ele iniciou o procedimento, senti alguém segurando minha mão e adormeci. Acordei e senti que ainda tinha alguém segurando a minha mão, virei para ver quem era e não tinha ninguém, aí eu senti a presença de Nossa Senhora”, conta, emocionado. (A Tarde)