Para eleição da Câmara de SAJ, Chico diz: “não sou contra o voto aberto, o que questiono são as mudanças em cima da hora”

-
Foto: Reprodução

A Câmara de Vereadores de Santo Antônio de Jesus subscreveu nesta última segunda-feira (30) em sessão, um projeto da Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final para que a eleição das comissões permanentes e Mesa Diretora da Casa Legislativa seja através de voto aberto (reveja aqui).

Dentre presentes na sessão, apenas os vereadores: Francisco Damasceno, o Chico de Dega (DEM) e Marcos Muniz, o Chispita (DEM), não participaram da subscrição.

Em entrevista ao Voz da Bahia na manhã desta terça-feira (1º), Chico de Dega falou que não foi contra o projeto, mas pediu vistas porque o projeto foi pautado em cima da hora de forma intencional, “eu sou pautado em conhecer qualquer que seja o projeto, não poderia aprovar a resolução 08/2020 que foi apresentada na Câmara, sendo que estava recém chegado na sessão. Não posso subscrever um projeto de lei sem conhecer, eu acho que isso não traz autonomia para o vereador ser responsável pelos atos do poder legislativo. Eu pedi vistas para poder estudar os projetos. O outros vereadores usaram o argumento que era para a transparência nas eleições da presidência da Câmara. Eu me pergunto: será que em todas as eleições passadas não teve transparência? Não é transparente o eleitor votar secreto?”, falou.

Segundo Chico, há mudanças que devem ser feitas no regimento da Casa Legislativa, que não mais importantes para serem tratadas do que o voto aberto, “eu acredito que deveria sim ter uma mudança no regimento da Câmara, como por exemplo, caso haja empate nas eleições, a presidência fica com quem tem mais mandatos. Se alguém foi eleito hoje, ele tem culpa de não poder participar da Mesa? Isso é um critério desleal e antidemocrático. Isso é uma manobra para quem quer pegar os outro vereadores de calça justa e marcar a votação para uma data favorável. Porque mudar o jogo faltando 30 dias para as eleições? Eu sou favorável a transparência em todos os projetos, por isto temos que estudar e dialogar com a população, não mudar uma regra a menos de um mês das eleições. Eu pedi vistas para analisar e discutir com a sociedade”, declarou.

COMPRAS DE VOTO DENUNCIADAS POR MORÃO:

Sobre Morão que denunciou compras de voto para a eleição da presidência da Câmara, Chico de Dega expos que não chegou ao menos ter uma conversa com o mesmo desde que ele foi eleito, “eu tenho grande respeito a Morão, uma história bonita. Eu sei que não cheguei a ele e a ninguém para comprar votos, acho isso uma falta de ética e respeito. Não cheguei ao menos a parabeniza-lo ainda pelas eleições. Temos que fazer uma política de discussão”, disse.

Dega pontuou novamente que não foi contra o projeto, mas considera que seja uma manobra política, tendo em vista que os vereadores tiveram todo o mandato para fazer mudanças, “eu não sou contra o voto aberto, o que eu questiono são às mudanças de regras em cima da hora, onde quem vai vota é a maioria. Se teve 4 anos para fazer, porque fez só agora?”, concluiu.

Reportagem: Voz da Bahia