Piatã é uma das praias com mais risco de afogamento de Salvador

Foto: Paulo M. Azevedo

Buracos, valas e bancos de areia no mar tornam a Praia de Piatã, nas imediações do Clube Sesc, uma das mais perigosas para o banho de mar na capital baiana, segundo informações da Salvamar.

Dos 26 salvamentos registrados na cidade no último final de semana, 20 foram no local. Dezoito deles ocorreram no domingo e dois no sábado.
Ninguém morreu afogado, mas o número elevado de ocorrências na região exige mais atenção dos banhistas e reforço do monitoramento de salva-vidas.

“Aquela praia tem muitos buracos e valas provocados pelo movimento da maré. As pessoas andam em área rasa e, de repente, pisam num local mais fundo”, alerta o chefe do setor de treinamento da Salvamar, Glauco Bastos.
Os obstáculos (bancos de areia, buracos e valas) formam correntes de retorno e o mar acaba ficando mais agitado, de acordo com Glauco Bastos. “As correntes sempre deixam o mar mais perigoso e movimentado demais, com ondas maiores. Nos locais onde há surfistas, principalmente, a maré tem essa característica”, explica.

MONITORAMENTO – Questionado sobre o reforço de salva-vidas na Praia de Piatã, o chefe do setor de segurança da Salvamar afirmou que todas as áreas consideradas perigosas para banhistas são monitoradas por três agentes.

“Apenas dois são escalados para fazer a segurança nos lugares onde o mar é considerado mais calmo”, explica.

Nos fins de semana, 21 postos e quatro viaturas fazem a fiscalização do trecho do Jardim de Alá, nas imediações do Costa Azul, até a Praia de Aleluia.

Além disso, 69 salva-vidas são escalados para trabalhar no fim de semana. Para reforçar a fiscalização nas praias, a Salvamar contratou mais 60 pessoas neste verão.

Dessas, 48 trabalham em Salvador e 12 reforçam a fiscalização do órgão nas ilhas que pertencem à capital baiana. Quatro postos são montados nas ilhas.
Para evitar o risco de afogamento, a Salvamar recomenda atenção redobrada dos banhistas nos locais mais perigosos, a exemplo das praias de Piatã, Jardim de Alá, Jaguaribe e Stella Maris. Essas regiões sempre são sinalizadas com bandeiras vermelhas, que indicam que é praia é perigosa para o banho de mar. “O banhista deve dar preferência às praias onde há postos salva-vidas. Ele deve procurar informação com os agentes para saber se há condição de tomar banho ou se é necessário evitá-lo”, alerta Glauco Bastos.