Uberdan protocola ação no MP contra contrato da educação em SAJ com o secretário do ex-prefeito ACM Neto: “cheira a tráfico de influência”

Vereador Uberdan Cardoso (PT) / Foto: Voz da Bahia

O vereador de oposição a administração municipal de Santo Antônio de Jesus, Uberdan Cardoso (PT), falou na segunda-feira (13) sobre uma ação protocolada por ele no MP (Ministério `Público) e no TCE (Tribunal de Contas da Bahia), pedindo o cancelamento de um contrato feito pela secretária de educação da cidade, Renilda Nery Barreto,  com o ex-secretário de educação de Salvador, Bruno Barral (reveja aqui), sob a suspeita de tráfico de influência.

O vereador argumenta a situação em entrevista a Andaiá FM, falando desde o início das irregularidades, “no dia 5 de dezembro, logo a eleição, o senhor Bruno Barral que era secretário de educação de Salvador da gestão até então, do prefeito ACM Neto (DEM), gravou um vídeo agradecendo ao prefeito Genival Deolino (PSDB) o fato de ter sido convidado para fazer um processo de seleção da secretaria de educação do município. Esse vídeo está nas redes sociais do prefeito, onde Bruno Barral diz que estava fazendo de forma gratuita essa ação, selecionando a secretária de educação. No dia 11 de janeiro, foi publicado em vários sites, que houve um encontro entre Bruno Barral e a secretária escolhida por ele, a professora Renilda Barreto e o prefeito Genival. Neste mesmo dia 11 de janeiro de 2021, saia no Diário Oficial um pedido do ex-secretário Bruto Barral uma proposta comercial. Ele responde no dia 14 de janeiro em ofício, que gostaria muito de prestar serviços ao município, mas ele não tem empresa constituída. O CNPJ dele estava em trâmite junto a Junta Comercial do Estado da Bahia (JUCEB). Quando a empresa dele é formalizada na instituição, fica sinalizada como serviços de engenharia, como ultima atividade cadastrada está: ‘apoio a educação’. A secretária, contrata a empresa recém formada por ele a prestar serviços sem licitação, pelo valor de R$ 311.760,00”, explica.

Segundo Cardoso, o mesmo pediu o cancelamento do contrato e a devolução do dinheiro aos cofres públicos, “estou fazendo meu papel de vereador, está aqui o protocolo. Faço a representação contra o prefeito Genival Deolino, contra secretária Renilda Barreto, contra Bruno Barral e contra a empresa dele. Penso que ele deveria devolver esse recurso para o município, cancelar o contrato. Isso cheira a tráfico de influência. Como um, cara que é engenheiro eletricista, com o respaldo de ter sido secretário de educação de Salvador, que não tinha empresa, o prefeito Genival e ACM Neto são aliados, ele vem aqui fazer um serviço voluntário em dezembro, em janeiro já está nomeado na assessoria de Bruno Reis em Salvador com horário integral de 40h, saia do seu trabalho para vir prestar serviço em Santo Antônio de Jesus, em dia de semana, onde é convidado pela secretária que ele escolheu a firmar um contrato de mais de R$ 300 mil? Isso cheira a tráfico de influência. Estou pedindo aos órgãos de controle que fiscalize”, declarou.

Uberdan afirmou que tudo não parou por aí. Após a contratação de Bruno Barral pela prefeitura, o mesmo contrata uma empresa para fazer vídeos (aula) para a cidade, “depois disso, o município a pedido de Bruno Barral, contrata uma empresa chamada Explorata Produtora pelo valor de R$ 317 mil reais para fazer (vídeos) aula. O município vai fazer (vídeo) aula justamente quando a pandemia já começa a recuar e as aulas presenciais começam a ser fomentadas inclusive pelo próprio prefeito, que defendia a volta as aulas? Isso é estranho. Sem falar que Bruno Barral não tem conhecimento nisso, não tem perícia. Se ele fosse uma pessoa que tivesse no currículo um cabedal incrível na área de educação, mas o que só foi secretário de educação de Salvador, não a torna uma pessoa capaz de prestar qualquer serviço de assessoria em nosso município”, concluiu.

Redação: Voz da Bahia