Uberdan repudia ataques de ativista de S. A. de Jesus ao vereador Délcio Mascarenhas e garante: “Não partiu do prefeito”

-
Vereador Uberdan Cardoso / Foto: Voz da Bahia

Ainda na última sessão da Câmara de Vereadores de Santo Antônio de Jesus, através de videoconferência, o vereador Uberdan Cardoso (PT), líder do prefeito rejeita a fala de Dr. Christian Ferraz (PP), ginecologista e pré-candidato a prefeito da cidade, acusando-o de difamação e intolerância contra as religiões de matrizes africanas. O médico havia dito ao Infosaj no último domingo (03/05) que no Distrito Industrial do município não havia industria, mais sim, teria virado terreiro de macumba e de feitiçaria em um local público (relembre aqui). Neste mesmo discurso, o vereador do PT aproveitou a oportunidade para ir em defesa do seu colega, vereador Délcio Mascarenhas (PSB), após o mesmo, ter sofrido ataques do ativista Marcelo Santos nas redes sociais.

Uberdan exemplificou a situação baseando sua historia política e seus desentendimentos com o edil Délcio Mascarenhas, que mesmo com intensas discussões, nunca deixaram de faltar com o devido respeito, “eu estive no contraponto com o vereador Delcio Mascarenhas por mais de 4 anos, tivemos enfrentamentos assíduos, mas nunca pautamos pelo desrespeito. Eu entendo que por traz de cada político existe um pai, um homem com suas referencias morais. Ninguém é cachorro sem dono. Todo mundo tem atrás de si alguém que tenha muito afeto. Imagine minha mãe, minha filha ou filho ouvindo fazerem uma difamação dessas. É um conselho que eu dou, acho que precisamos engrandecer o debate da política, tenho convicção que esse bombardeio não partiu do prefeito (Marcelo Santos tem cargo comissionado da prefeitura). A nenhum cidadão, é permitido desconhecer a lei, com um legislador experiente, Délcio conhece todos os trâmites da lei. Eu uso esse momento da minha fala para prestar minha solidariedade ao vereador Délcio, as diferenças podem existir, tivemos muitos momentos tensos, mas soubemos diluir para o espaço da politica com debate, sempre tivemos a mesma avalização do sujeito humano. A humanidade do senhor Délcio está ferida, como a qualquer um de nós que não gostaria de ver uma deslealdade a nenhum ser humano. A política não se faz desse jeito. Existe mil formas de debate, a ofensa não é uma delas”, concluiu.

Reportagem: Voz da Bahia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui