‘Governo liberou R$ 50 bi para renegociação no Desenrola Brasil’, diz Haddad

Se o desconto para as pessoas for de R$ 7 mil, o crédito para o banco também será de R$ 7 mil.

Foto: Fábio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), declarou nesta segunda-feira (17) que o governo liberou R$ 50 bilhões em crédito presumido para a primeira fase do Desenrola Brasil, programa do governo federal que vai possibilitar a renegociação de dívidas. O programa que começou a operar nesta segunda-feira, tem expectativa de beneficiar até 70 milhões de pessoas.

De acordo com o Metrópoles, Haddad afirmou que liberou R$ 50 bilhões (em crédito presumido) para que o setor bancário faça as renegociações, no sistema de balanço financeiro. O ministro ainda afirmou que o estímulo para o banco é ter o valor da renegociação como crédito presumido com o governo. Se o desconto para as pessoas for de R$ 7 mil, o crédito para o banco também será de R$ 7 mil.

O programa lançado pelo governo federal, será executado em três etapas e as duas primeiras já começaram a valer nesta segunda-feira: a extinção de dívidas bancárias de até R$ 100 e uma etapa de renegociação de dívidas bancárias para a faixa 2 do programa. A faixa engloba quem tem renda mensal de até R$ 20 mil e as renegociações podem ser feitas entre os clientes e as instituições financeiras. Os brasileiros que tenham dívidas inscritas até 31 de dezembro de 2022 e que estejam ativas podem participar do Desenrola. Os devedores terão prazo de 12 meses para o pagamento. (bahia.ba)

google news