OMS reforça riscos de cloroquina e recomenda uso apenas em ensaios clínicos

-
Foto: National Institute of Allergy and Infectious Diseases (NIAID)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) reforçou nesta quarta-feira (20) que o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina não são indicadas ao tratamento do novo coronavírus. Além de não haver testes que comprovem a eficácia, há evidências de efeitos colaterais das substâncias à saúde.

“Todas as nações, particularmente aquelas com autoridades reguladoras, estão em posição de aconselhar seus cidadãos sobre o uso de qualquer droga. Entretanto, sobre a hidroxicloroquina e a cloroquina, que já são licenciadas para muitas doenças, eu diria que, até esse estágio, nem a cloroquina nem a hidroxicloroquina têm sido efetivas no tratamento da Covid-19 ou nas profilaxias contra a infecção pela doença. Na verdade, é o oposto”, explicou Michael Ryan, diretor de Emergências da entidade.

De acordo com informações do G1, Ryan foi questionado sobre o protocolo aprovado pelo Ministério da Saúde, que autoriza o uso dos medicamentos no tratamento da doença. O representante da OMS recomendou que as substâncias sejam usadas apenas em ensaios clínicos.

É como ambas têm sido utilizada pela própria OMS, no estudo Solidarity. A iniciativa internacional busca tratamentos para a Covid-19 em vários países. No Brasil, o estudo é conduzido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). (Bahia.Ba)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui