Após Dr. Gil dizer que Uberdan “foi a rabadinha”, ele rebate: “tenho medo que isso seja mais um remédio sem comprovação científica que está prescrevendo para alguém”

Vereador Uberdan Cardoso (PT) / Foto: Voz da Bahia

O vereador Uberdan Cardoso (PT) esteve presente na Live do Voz da Bahia, programa Meio-Dia e Meia e se posicionou diante da fala do médico e vereador Gilvandro Couto, popular Dr. Gil (PSDB) que disse que o petista foi na ‘rabadinha‘, ou seja, o último do último e moralmente não tinha direito de está ali (relembre aqui). Cardoso rebate: “tenho medo que isso seja mais um remédio sem comprovação científica que está prescrevendo para alguém”.

“A MORTE ZERO JÁ COMEÇOU MORTA”

Inicialmente, Uberdan foi questionado sobre o protocolo contra Covid-19 criado pelo médico Dr. Gil o denominando de ‘Morte Zero‘ em Santo Antônio de Jesus (relembre aqui). Cardoso revelou que o protocolo já começou morto e justifica que se trata de uma determinação sem nenhum embasamento técnico-científico, “protocolos médicos devem ser protocolos científicos. Um exemplo que vou dar aqui é se você teve um infarto e você corre risco de vida, alguém vai sabendo que a morte está próxima tomar medicamentos sem comprovação científica? Ninguém vai tomar. E por que se toma na Covid? Porque na Covid há cada 100 pessoas que tem o vírus mais de 90 irão ser assintomáticas ou vão ter sintomas leves, mas esse medo de agravar a doença faz com que as pessoas procurem e se apegue a tudo, então muitos vão tomar cloroquina, outros irão tomar Ivermectina, outros vão tomar água, outro nem vai saber que estão e vão tomar pinga e do mesmo jeito vão ficar bons, agora quando você está com Covid, que você toma essa medicação e fica bom, você vai dizer ‘fiquei bom por causa disso’, mas se você não usar, ficaria bom do mesmo jeito porque o vírus contagia muito mais e mata pouco. Estou dizendo isso aqui porque li artigos científicos, porque me dediquei a pesquisar o que escreveram os cientistas. Porque o fato de você ser médico não significa dizer que você é cientista. Eu me preocupo muito a voz de médicos na imprensa, nas redes sociais prescrevendo tratamento precoce acaba tendo o aumento no número de casos, uma sensação frágil de segurança e isso perpassa no aumento no número de óbitos”, explica.

FANTASMAS NA CÂMARA: “QUANDO VOCÊ NÃO DIZ NOMES ESTÁ SENDO IRRESPONSÁVEL”

Outra questão levantada por Dr. Gil foi, segundo ele, a presença de funcionários fantasmas dentro da Câmara de Vereadores. Uberdan rebate tal denúncia e afirma que vereadores devem ter prudência nas coisas que são ditas, “quando você diz que tem funcionário fantasma você tem que dizer nomes, porque quando não diz nomes, você está sendo irresponsável. Eu até acho que tem, mas agora no início do ano os vereadores assinaram uma resolução determinando que o trabalho da Câmara fosse Home Office, então os vereadores assinaram para que as sessões fossem semipresenciais e que atendimento ao público fosse limitado. Então os funcionários estão autorizados pelos vereadores a trabalharem em casa, como é que autorizo a ficar em casa depois digo que são fantasmas? É uma contradição absurda, não posso dizer que o sujeito é fantasma se eu disse fique em casa. É óbvio que sei que tem nomeações ali de pessoas que não vão trabalhar por que são indicações políticas para atender ao grupo político eleito, mas os demais estão em casa por causa da pandemia, agora terminada Covid e voltando aos trabalhos normais, aí sim, inclusive sugerir ao presidente da Casa, que faça uma reunião após tudo isso acabar, com todos esses servidores para conhecê-los, colocar todos no auditório da para ver e aí podermos dizer que fulano, ou cicrano não está trabalhando”, revela.

“RABADINHA”

Finalizando as pautas levantadas pelo vereador Gil, Uberdan foi questionado sobre ser denominado pelo médico como vereador ‘rabadinha’ ou seja, um dos últimos em número de votos e que só foi eleito devido a coligação partidária. O petista admite que ao contrário de muitos vereadores sempre tratou a política no alto nível com debate e argumentos, “ninguém é obrigado a concordar comigo, mas de uma coisa ninguém pode negar, que eu tenho opinião, que defendo meus argumentos, que defendo o que digo, então meu debate vai ser sempre no alto nível. O vereador em questão quer me levar para o ringue, ele quer partir para uma briga que não é do meu perfil, vou brigar com ele sempre nas ideias, mas esse tipo de discussão não vou entrar, porque existe um abismo que me separa dele, esse abismo que nos separa é o abismo da ética. Eu tenho muitos anos de vida pública e ninguém vai levantar o dedo para dizer que eu maltratei ou machuquei ninguém, podem dizer que não concorda com minha ideia, mas esse nome rabadinha, tenho medo que isso seja mais um remédio sem comprovação científica que ele está prescrevendo para alguém, esse é meu medo, de repente ele estava escrevendo isso aí para alguém, inclusive pela internet. Na Câmara, uma vez o vereador Dr. Gil falou que eu não tinha direito de falar porque fui o último a ser votado, acho que ele está pensando que na Câmara o status de alguém é por conta da votação que teve, ele não lembra que o vereador Cau de Dodô foi o menos votado na eleição passada, ele não lembra que o Dr. Daniel foi mais votado na outra campanha e não se reelegeu? Mesmo merecendo ser eleito porque foi o grande vereador. Conheço inúmeras histórias de vereadores que foram muito bem votados e depois foram o fracasso como edis e não foram reconhecidos. Hoje, sou tão vereador como qualquer outro e não sou melhor do que ninguém, tenho relação saudável com todos os meus outros colegas. Então, quero dizer ao vereador uma coisa muito simples: o senhor foi o mais votado vereador, mas até agora o senhor não disse para que veio. O senhor não apresentou um projeto de lei sequer, são seis meses, então as pessoas precisam saber. Desafio o senhor a apresentar um projeto nesses seis meses para povo de Santo Antônio de Jesus. O senhor não teve como vereador ligado prefeito uma indicação atendida, então como é que o vereador que tem 6 meses que nas férias disse que iria arrumar a Câmara, hoje, está lá e só se ouve a voz porque é secretário e tem que ler os trabalhos e ainda ler precisando ser consertado toda hora? Nunca apresentou um projeto de lei, não tem uma indicação atendida, persegue os servidores da casa, por uma razão simples, tem servente lá que ele quer tirar porque está com a lista com cinco pessoas para colocar no lugar, então, enquanto o presidente não atender, não vai o deixar em paz. Agora, fica aí falando da boca para fora que isso que aquilo para moralizar na conversa mole, eu já disse que o Covid vai passar. Ainda diz que vai dividir o dinheiro e doar, mas até agora não vi protocolo, então é aquela história, não acerte seu relógio pelo meu porque desmascaro mesmo, com muita tranquilidade. Ele me persegue porque é bolsonarista e já chegou a dar uma queixa na delegacia, minha, porque disse que todo médico que prescreve medicamento sem comprovação científica é por que é curandeiro ou charlatão, até o delegado ao me ouvir ficou constrangido, mais a queixa foi dada por Dr. Gil contra mim. Pois continuo afirmando o que falei antes”, concluiu.

Reportagem: Voz da Bahia